2010

Atividades realizadas na cidade do Rio de Janeiro.

 

Seminários:

229. O Sintoma e o caráter. 1ª e 3ª quartas feiras às 21:00 h – Susana Amalia Palacios. 

230. Culpas e sacrifícios: sua lógica e incidências na clínica psicanalítica. 2ª quartas feiras às 21:00 h – Beatriz Azevedo.

231. Pontuações sobre o seminário 23: O Sinthome (J. Lacan). 4ª quartas feiras às 21:00 h – Ricardo Eduardo Delfino.

232. A Família na Psicanálise. Todas as 4ª feiras às 20:00 h.

233. Temas do 1º quatrimestre: Pontuações sobre a família; a Função Paterna e seu declínio; do pai freudiano ao pai lacaniano; do parentesco à parentalidade; a dissimetría no Édipo; sexuação e gênero; mono e homoparentalidade; do sexo sem gravidez à gravidez sem sexo; o sexo é um dizer.

Ministrado pelos membros da EDCA e Coordenado por  Susana Palacios

234. Leituras: textos de Freud, Lacan, Winnicott, Dolto e outros autores. Todas as 4ª feiras às 19:00 h – Heliana Brandão Leal e Eleonora Menezes Iozzi. 

235. Convênio com a Secretaria de Ação Social da Prefeitura do Rio de Janeiro.

236. Centro de Acolhimento Estella Maris  (Galeão) de março a abril de 2010.

237. Centro de Acolhimento Ayrton Senna (Maracanã) inicio em Maio até a presente data Outubro de 2010. 

 

 

Atividades realizadas na cidade de São Paulo.

 

Seminários:

238. A adolescência na psicanálise. Coordenadora:  Susana Palacios.

239. O real na família. Coordenadora: Susana Palacios.

240. Sintoma e caráter. Coordenadora: Susana Palacios.

 

Grupos de Leitura:

Coordenadora: Maria do Carmo Mucciolo.

 

Dispositivos:

241. A direção da cura. Coordenadoras: Andreneide Dantas e Susana Palacios.

242. Orientação psicanalítica para educadores.

 

243. Jornada: “A banalidade do mal”.

Programa:

24 de Setembro de 2010 –  6ª Feira.

14h00 – Abertura.

Susana Amalia Palacios, Psicanalista, Presidente do Instituto Tempos Modernos.   

          

14h15 às 15h45 – MESA 1.

A banalidade do mal na educação:

– Jorge Artur Floriani, Educador, São Paulo.

– Neusa Lais Coelho, Psicanalista, Niterói, RJ.

– Heliana Malta Brandão, Psicanalista, Rio de Janeiro.

 

16h00 às 17h45 – MESA 2.

A banalidade do mal nas instituições:

– Andreneide Dantas, Psicanalista, São Paulo.

– Lúcio Artioli, Psicanalista, São Paulo.

– Maria Amélia Teles, Advogada, São Paulo.

18h15 às 19h45 – MESA 3.

A banalidade do mal no direito:

– Dra. Maria Olívia Pinto Esteves Alves, Juíza da Câmara Especial do tribunal de Justiça de São Paulo.

– Dr. Antônio Carlos Malheiros, Desembargador, Coordenador da Coordenadoria da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e Professor Universitário.

– Estela Carlotto, Presidente de Abuelas de Plaza de Mayo, Argentina.

 

20h00 às 21h30 –  MESA 4.

A banalidade do mal nos meios de comunicação:

– Estela Rodríguez, Jornalista, Argentina.

– Silvia Basílio Ribeiro, Jornalista, São Paulo.

– Rosane Aubin, Psicanalista, São Paulo.

  

25 de Setembro de 2010 – Sábado.

 

10h00 às 11h30 –  MESA 5.

A banalidade do mal na ciência.

– Arnaldo Domínguez, Psicanalista, São Paulo.

– Renata Zancan, Psicanalista, São Paulo.

– Miriam Debieux Rosa, Psicanalista, São Paulo.

11h45 às 13h30 –  MESA 6.

A banalidade do mal nas artes:

– Edson Feitosa, Bibliotecário, São Paulo.

– João Silvério Trevisan, Escritor, São Paulo.

– Ruy Cortez, Diretor e encenador teatral, São Paulo.

– Elza Calôba, Psicanalista, Rio de Janeiro.

 

14h30 às 16h00 – MESA 7.

A banalidade do mal no mal-estar na cultura:

– Ana Zabala, Psicanalista, Argentina.

– Maria Helena Seibt, Psicanalista, São Paulo.

– Suzana Nolasco, Psicanalista, Rio de Janeiro.

 

16h15 às 17h45 – MESA 8.

A banalidade do mal na clínica psicanalítica:

– Ricardo Delfino, Psicanalista, Rio de Janeiro.

– Alicia Lo Giúdice, Psicanalista, Argentina.

– Susana Amalia Palacios, Psicanalista, Rio de Janeiro e São Paulo.

INSTAGRAM

facebook

Youtube